Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Meu Doce Limão

"Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir" - Amyr Klink

22
Jun17

Não se apaga


Sofia Almeida

Um dos seus maiores sonhos, era ter sido aquilo que ele lhe prometera: a mulher da vida dele.
Era ter conseguido alcançar todos os sonhos que abraçaram juntos. Não conseguia entender o porquê daquilo que pensava ser cal e pedra, de um dia para o outro ser nada, simplesmente nada.
Era inútil tentar justificar o que não tinha justificação. Como é que se corta um laço tão profundo? Como é que a ferida vai sarar? Arde tanto e tão profundamente. O coração bate a mil, as noites dela são passadas em branco. Como se faz um luto de alguém que ainda está vivo. Vivo em todos os sentidos. Se em tudo havia amor, não precisava de ter terminado assim. Como uma porta que bate na nossa cara. Como um balde de água fria. Ela procurava respostas, detalhes, lembranças que a pudessem fazer entender como é que de repente tudo aconteceu sem aviso prévio, sem um sinal. Estaria ela a viver outro amor e não o mesmo que o dele? Seria possível amar com segundas intenções? Não acreditava.
Restava-lhe agora o tempo e o tic-tac da sua respiração para puder esquecer aquilo que foi inesquecível. Restava-lhe agora rasgar as fotografias dos momentos que eternizavam o amor. Restava-lhe agora apagar todas as mensagens que terminavam sempre com um Amo-te. Restava-lhe agora mudar o quarto, as mobílias, os cortinados, mudar o cenário, pois as personagens já não eram as mesmas.
Era duro. Dias. Semanas. Meses. Não se esquece. Não apaga. Não há botão que desligue tudo o que vive dentro de um coração. É preciso uma força quase sobre-humana para viver contra aquilo que se sente.

13
Jun17

O dia em que te esqueci


Sofia Almeida

16265800_756352851194072_7957699292122738556_n.jpg

 

Nunca te esqueças de mim. Nunca te esqueças de nós. Pedia-te em segredo, baixinho,  na esperança que nunca me esquecesses. Nunca é muito tempo, para sempre também é. Mas dá um alívio tão grande pensar que as coisas são para sempre. É como se fosse um analgésico de esperança que nós tomamos. 
Mas tu esqueceste-te de mim. Esqueces-te de nós. De tudo o que era nosso, de todo o chão que pisamos juntos, daquele manto de amor. 
E eu aqui fiquei. Sozinha. No chão da casa que era nosso. À espera do dia em que te pudesse esquecer. À espera do dia em que aquela música não fizesse o meu coração disparar. À espera do dia em que não esperasse mais por notícias tuas. À espera do dia em que não lê-se mais o teu nome escrito na rua, em todo o lado.  
E consegui. Esqueci-te. No dia em que te esqueci, o sol nasceu com outra cor. Não sei explicar, mas eu consegui-o sentir de outra forma. No dia em que te esqueci, olhei para mim e achei-me mais bonita que nunca, há sei lá, se calhar eu sempre fui, só não me olhava mais. No dia em que te esqueci, a música era outra, e eu sabia a letra de cor. No dia em que te esqueci o relógio tinha as horas certas, o ponteiro dos segundos batia em conformidade com o meu tempo. Era o meu tempo. No dia em que te esqueci, lembrei-me de mim. Percebi que me esqueci de mim, ao invés de ser de ti. E foi tão bom lembrar de mim. No dia em que te esqueci, pedi-me: nunca te esqueças de mim. 
 
 
Sofia Almeida 
10
Jun17

Amesterdão que amor


Sofia Almeida

IMG_0568.JPG

IMG_0422.JPG

IMG_0416.JPG

IMG_0407.JPG

IMG_0589.JPG

IMG_0514.JPG

IMG_0343.JPG

IMG_0425.JPG

IMG_0516.JPG

Amesterdão para mim será sempre um sitio-amor.

é vida nas ruas pequeninas. é luz. são tulipas ao seu redor.

Amesterdão é um pequeno jardim. as bicicletas são pinceladas de cor nas ruas.

Amesterdão foi amor à primeira vista.

 

Sofia Almeida

 

09
Jun17

Dias de sol


Sofia Almeida

964645_10151496907635888_222269621_o.jpg

 

 

Gosto de saber que sou a primeira pessoa com quem posso contar.

Gosto dos dias de sol, que aquecem a alma por dentro.

Gosto de trazer comigo o brilho nos olhos do amor que recebo dos meus.

Gosto das palavras inesperadas que confortam.

Gosto das surpresas e de atitudes inesperadas.

Gosto do simples, do branco e do som do mar.

Gosto de me sentir amada e protegida.

Gosto de pessoas de luz, que iluminam a minha vida.

Gosto de quem se entrega, de quem cuida.

Gosto de quem me faz sorrir, de quem me mostra o arco-íris.

Gosto de quem diz que vai dar tudo certo.

 

Sofia Almeida

09
Jun17

É bonito ser simples.


Sofia Almeida

simples.jpg

 

[ É bonito ser simples. É na simplicidade que reside a maior beleza, o maior encanto. A vida é simples nós é que por vezes complicamos o que na verdade é tão simples. Gosto de gente simples, na sua verdadeira essência, sem achismos e sem faz de conta para alcançar uma utópica perfeição. Gosto de gente simples que só com um simples gesto cativa, do simples abraço, do simples beijo, da simples conversa, do simples detalhe. O simples é o que nos faz ser mais. O simples fica bem em tudo, na vida,na relação com os outros e até connosco. É bonito ser simples.]

Sofia Almeida

 
07
Jun17

amor sem data de validade


Sofia Almeida

a94db2e2a4e916c553e02adfa2cffd6e.jpg

 

[ Em conversa com uma grande amiga, que tem um casamento feliz e de muito tempo, perguntei-lhe qual era o segredo para um amor feliz. Tantas vezes que já presenciamos o amor daqueles casais que já são velhinhos mas que continuam de mão dada e o brilho nos olhos. Ela disse baixinho: "Sermos amigos um do outro e ter muita paciência." A infeliz verdade é que há pessoas que por mais que não queiram, permitem e deixam que o amor acabe. O amor acaba quando somos orgulhosos. Quando olhamos só para o nosso umbigo. Quando não pedimos desculpa, quando não entendemos o outro. Quando não temos paciência. Quando não percebemos que as discussões e as coisas pequeninas vão envenenado um amor. Quando estamos cansados e sem tempo, e deixamos nos levar pela rotina do dia a dia, esquecendo a delicadeza e a gentileza. Não há receitas para um amor feliz, para um amor para sempre. Porque como em tudo na vida, a felicidade é vivida em momentos. E o amor está sempre lá, só que tem que ser cultivado, com pequenas vontades, com paciência, com sustento. Hoje em dia poucas pessoas se suportam. Enfrentam pequenos desafios e deixam o barco afundar logo no primeiro instante. Não tentam e re-tentam as vezes que forem necessárias, porque quando vale a pena, vale! Vale a pena se realmente se ama, carregar uma mala pesada a dois, é mais suportável passar por adversidades a dois. O amor é sobretudo um companheirismo sem cobranças. É uma amizade em forma de flor que deve ser cuidada. O amor quando é amor não tem data de validade. ]

Sofia Almeida
 
 

 

02
Jun17

Vieste e foste ficando


Sofia Almeida

pate.jpg

 

 

Apareceste sem eu contar, sem que nada fizesse prever. Diziam sempre: "o que é teu está guardado". A verdade é que vieste e foste ficando. Aqui na minha vida, que se tornou nossa. Só assim faz sentido, partilhar o que de melhor somos e temos com aqueles que amamos. Todos os dias são dias de amar, uns com mais fervor outros com mais cansaço. Normal. A vida cria rotinas e temos que nos inventar e reinventar todos os dias. Entraste na minha vida com a tarefa de me fazer acreditar no amor, na sua verdadeira essência. Chegaste para me fazer perceber, que este tesouro chamado amor pode ser encontrado sem se procurar. Vieste com a missão de me fazer perceber que a vida é para ser vivida, sem pressas, para desfrutar pacientemente. És a minha prece atendida. Sempre te disse isto, tu sabes. És o meu abraço demorado, quando preciso e quando não preciso, porque estás sempre aqui, dentro do meu peito. És o meu refúgio, a minha protecção. O meu amor. Obrigada por segurares sempre na minha mão, por me respeitares, por seres a excepção. Obrigada por seres o amor presente.

 

Amo-te   

 

Sofia Almeida 

29
Mai17

Amar é um verbo para ser conjugado a dois


Sofia Almeida

amarverbo1.jpg

 

 

 

 

 

Amar é um verbo que deve ser conjugado pelos dois. Deve ser reciproco. Deve ser dado na medida exacta que se recebe. Mas sem réguas, sem pesos, sem medidas. Deve ser assim, porque deve ser naturalmente assim. Não há nada melhor do que amar e ser amado, do que um equilíbrio, onde dois atravessam de mãos dadas todos os desafios. Onde ninguém se acomoda, se deixa estar, e deixa o outro sozinho a segurar as pontas e a remar o barco. Ninguém é igual a ninguém. E as vezes, sim dá uma preguiça, um certo cansaço, mas que deve ser recuperado de imediato. Não é possível, amar por dois por muito tempo. é um engano. Não é possível lutar por algo que é para ser vivido por dois. Não é possível conjugar este verbo sozinha, pois é um fardo muito grande. Amar por dois, não pode ser amor. 

 

 

 

 

29
Mai17

Há sempre


Sofia Almeida

[ Há sempre uma solução, uma saída, uma direção. Quando um muro separa, há uma ponte que une. Há sempre uma alternativa, uma chance, uma ligação, uma opção um outro sentido. O copo pode ser meio vazio, mas também é meio cheio, tudo depende do nosso ponto de vista e a maneira como queremos encarar as coisas e principalmente a vida. Há que ter uma grande dose de otimismo para poder ver a vida de outra forma. Há que tentar ver as coisas pelo outro lado. É possível. Basta acreditar.]

Sofia Almeida

MUROOOO.jpg

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Blogs de Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D