Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Meu Doce Limão

"Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir" - Amyr Klink

21
Ago17

"Enquanto alguns escolhem pessoas perfeitas, eu escolho as que me fazem bem."


Sofia Almeida

1795723_10152322546120888_1754234716446545097_n.jp

 

"Enquanto alguns escolhem pessoas perfeitas, eu escolho as que me fazem bem."

Li isto algures, e faz todo o sentido. Faz sentido não escolher as pessoas perfeitas, mas sim as que me fazem bem.

Quando me desprendi de todos aqueles que nada acrescentavam, foi aí que a vida começou a fluir. Escolhi ser feliz e dá trabalho, não é fácil. Requer esforço e dedicação. Por vezes nos não vemos a escada inteira. Só vemos o primeiro degrau. Hesitamos. Mas nós só temos que dar o primeiro passo. O primeiro passo é o que mais importa para tudo começar. Quando caminhares, o caminho vai aparecer. 

 

 

Sofia Almeida

21
Ago17

ela...


Sofia Almeida

cereals-1465304_960_720.jpg

"Mereces um amor para a vida"
Disse ela, entre soluços, entre lágrimas. Levantou-se do sofá. Abriu a janela. Deixou o sol entrar. Repetiu para si mesma: " Mereces um amor para a vida."

Era segunda-feira. Para trás tinha deixado o fim-de-semana. Para trás dia que lhe mudou a vida. Para trás hora que "virou a mesa". Acabou com a história que se arrastava ao longo do tempo.

Amava por dois. E esse fardo foi ficando pesado ao longo do tempo. Os dois deviam segurar aquele amor que foi prometido. Não, sozinha. Sozinha. 
Haverá dor maior do que perceber que a história estava a chegar ao fim? Haverá dor maior do que perceber que se ama sozinha?

As manhãs já não eram brindadas com aquele bom dia de sempre. As mensagens foram deixando de existir. Só respostas curtas. Sem reticências. Apenas ponto final. As surpresas deixaram de existir. Os jantares a dois passaram a ser só para um. Não havia tempo. Não havia espaço. Não havia sintonia. Não havia conversa.

Os carinhos já não existiam. Os atrasos eram constantes. Os abraços eram miragem. As discussões eram rotina. O desentendimento era maior que o envolvimento. Não havia mais. 
Ela ainda implorou. Ainda tentou fazer o impossível. Reanimar o que já tinha morrido. Ainda tentou continuar quando a vontade era desistir. E apesar de saber que já não havia solução. Ainda tentou e re-tentou.

Mas chegou o dia, que decidiu desistir pelos dois e continuar por ela. Pois ela merecia um amor para a vida: o dela.

Sofia Almeida

16
Ago17

Ama-te


Sofia Almeida

 

amate.jpg

 

 

 

 

 

[ Ser solteiro não significa estar infeliz. Ser sozinho não é sinônimo de solidão, tristeza. Podemos ser a nossa melhor companhia. Devemos ser. Há quem goste de estar sozinho, de querer e ser sozinho. Por opção, por uma espera que vale a pena. E não há nada de errado nisso. Quando há uma grande dose de amor-próprio, quando não se vive para os outros, na espera ingrata de quem não quer viver na espera. Nós podemos ser a nossa melhor companhia. Devemos ser. Quando há um encontro connosco mesmo, é quando as coisas fluem melhor. Quando sabemos o que queremos, quando não estamos para suportar certas situações. Há um tempo para tudo. E se alguém chegar, vai ser alguém que vale a pena. Por vezes buscamos o amor nos outros quando ele está em nós. Até lá, valoriza-te, ama-te, cuida-te. Sempre. ]

Sofia Almeida 

16
Ago17

Há gente que fica na história, da história da nossa gente.


Sofia Almeida

[ Há gente que fica na história, da história da nossa gente. Há gente que vale a pena, que nos acrescenta, que nos diz muito. Há gente que traz amor, que é alegria, que vale a pena partilhar as coisas boas da vida. Há gente que são lufadas de ar fresco, que não fazem rir, que nos limpam as lágrimas com sorrisos. Ainda há gente que vale a pena. ]

Sofia Almeida

hagente.jpg

 

 
07
Ago17

é urgente


Sofia Almeida

•é urgente o amor sincero, o amor recíproco.
é urgente a coragem, a fé, acreditar que o melhor está por vir.
é urgente desligar do passado, mudar a rota, ligar a quem precisa de nós, valorizar quem está sempre connosco.
é urgente fazer as coisas com amor e ter amor por quem está sempre connosco.
é urgente traçar novos caminhos, novos planos.
é urgente não esquecer quem somos, o que queremos e sobretudo de onde viemos. é urgente ser feliz e fazer os outros felizes. •

 

éurgente.jpg

 


Sofia Almeida
Meu Doce Limão

22
Jul17

Sobre ir


Sofia Almeida

[Há quatro anos atrás, destinada e carregada de uma força chamada coragem, decidi deixar o nosso Portugal. Quem sabe do que falo, quem já o viveu, sabe o que significa conjugar a palavra saudade todos os dias. Ir, é conhecer a dor a despedida, do até já, das saudades de tudo e de todos. Ir, é virar uma página, escrever um novo roteiro, ganhar asas, novas experiências, novo ar, nova vida. Ir é ganhar uma bagagem incrível. Ir é ir, mas deixar sempre um pouco de ti, em cada canto, em cada coração daqueles que amamos. Ir não é fácil. Mas às vezes ir tem de ser. Ir não é sinônimo de não voltar. E não há melhor sensação do que aquela que é de voltar a casa de vez. Porque a nossa casa é onde o nosso coração está.]

ir ir.jpg

 

04
Jul17

Saudade


Sofia Almeida

 
 
 
[Ter a saudade presente todos os dias não é fácil. Há vários tipos de saudades, creio eu. Há algumas que se matam, outras que infelizmente, não se conseguem. Viver longe dos nossos e daqueles que são o nosso barco, não é fácil. É um teste à nossa resiliência. A nossa casa, é onde o nosso coração está. Por isso é que o tempo sempre foi tão importante. Tempo para aproveitar bem com quem merece e com quem vale a pena. É como se fosse uma maratona e agora estou quase a chegar à meta. Rodeado de todas aquelas pessoas que estiveram sempre comigo. Conjuguei na primeira pessoa o verbo esperar, logo eu que sou tão impaciente. Relembrar sempre, que quem espera sempre alcança e que coisas boas estão por vir. Foi preciso ir para longe para chegar tão perto.] 

Sofia Almeida
27
Jun17

Sobre ti


Sofia Almeida

-Não sou aquilo que procuravas, mas esbarraste em mim, assim sem querer, por acaso, por obra do destino e posso dizer, sem modéstia alguma, que fui a tua sorte. Que por acaso nos encontrámos, quando mais precisavas, embora nem tu sabias disso. Foi melhor assim. Nada programado, nada combinado. Foi melhor assim, a vida mostrar-te que somos para ser conjugados no presente e no futuro. Foi melhor assim, saber de ti, que fui das melhores coisas que te aconteceu na vida. E é tão bom não é? Quando a vida nos trás alguém que nos faz mais feliz. Quando a vida deixa entrar quem vale a pena.Eu sempre soube que, no momento em que os teus lábios tocaram nos meus, era para ficar. Sempre soube. Tu, que nunca gostaste de dividir o teu mundo, de um dia para o outro abriste-o para mim. E eu neste tempo todo aceitei-te tal como eras, com todos os defeitos e virtudes. Aceitei primeiro os teus defeitos, porque queria-me surpreender e não me desiludir. Com lados felizes eu já não me iludia. Preferi-te como um todo. Aceitei-te assim como és. Nunca quis mudar cada pedaço teu. Esse foi o nosso acordo. Mas sim, para melhorar juntos: - "se é para melhor, que seja". 

Só que o tempo passa, e nós nos acomodamos. A gente acomoda-se no tempo, na vida, nos passos. Por vezes esquecemos como tudo começou, o que fez o coração bater desde o início, a sorte que a gente teve, o amor que fez o nosso coração bater no mesmo tempo. Então lançamos os dados, superamos a rotina, voltamos à casa da partida e recomeçamos, recapitulamos, reconquistamos e reinventamos. Porque o amor é isso mesmo, uma entrega diária que nunca deve cair no esquecimento.

22
Jun17

Não se apaga


Sofia Almeida

Um dos seus maiores sonhos, era ter sido aquilo que ele lhe prometera: a mulher da vida dele.
Era ter conseguido alcançar todos os sonhos que abraçaram juntos. Não conseguia entender o porquê daquilo que pensava ser cal e pedra, de um dia para o outro ser nada, simplesmente nada.
Era inútil tentar justificar o que não tinha justificação. Como é que se corta um laço tão profundo? Como é que a ferida vai sarar? Arde tanto e tão profundamente. O coração bate a mil, as noites dela são passadas em branco. Como se faz um luto de alguém que ainda está vivo. Vivo em todos os sentidos. Se em tudo havia amor, não precisava de ter terminado assim. Como uma porta que bate na nossa cara. Como um balde de água fria. Ela procurava respostas, detalhes, lembranças que a pudessem fazer entender como é que de repente tudo aconteceu sem aviso prévio, sem um sinal. Estaria ela a viver outro amor e não o mesmo que o dele? Seria possível amar com segundas intenções? Não acreditava.
Restava-lhe agora o tempo e o tic-tac da sua respiração para puder esquecer aquilo que foi inesquecível. Restava-lhe agora rasgar as fotografias dos momentos que eternizavam o amor. Restava-lhe agora apagar todas as mensagens que terminavam sempre com um Amo-te. Restava-lhe agora mudar o quarto, as mobílias, os cortinados, mudar o cenário, pois as personagens já não eram as mesmas.
Era duro. Dias. Semanas. Meses. Não se esquece. Não apaga. Não há botão que desligue tudo o que vive dentro de um coração. É preciso uma força quase sobre-humana para viver contra aquilo que se sente.

13
Jun17

O dia em que te esqueci


Sofia Almeida

16265800_756352851194072_7957699292122738556_n.jpg

 

Nunca te esqueças de mim. Nunca te esqueças de nós. Pedia-te em segredo, baixinho,  na esperança que nunca me esquecesses. Nunca é muito tempo, para sempre também é. Mas dá um alívio tão grande pensar que as coisas são para sempre. É como se fosse um analgésico de esperança que nós tomamos. 
Mas tu esqueceste-te de mim. Esqueces-te de nós. De tudo o que era nosso, de todo o chão que pisamos juntos, daquele manto de amor. 
E eu aqui fiquei. Sozinha. No chão da casa que era nosso. À espera do dia em que te pudesse esquecer. À espera do dia em que aquela música não fizesse o meu coração disparar. À espera do dia em que não esperasse mais por notícias tuas. À espera do dia em que não lê-se mais o teu nome escrito na rua, em todo o lado.  
E consegui. Esqueci-te. No dia em que te esqueci, o sol nasceu com outra cor. Não sei explicar, mas eu consegui-o sentir de outra forma. No dia em que te esqueci, olhei para mim e achei-me mais bonita que nunca, há sei lá, se calhar eu sempre fui, só não me olhava mais. No dia em que te esqueci, a música era outra, e eu sabia a letra de cor. No dia em que te esqueci o relógio tinha as horas certas, o ponteiro dos segundos batia em conformidade com o meu tempo. Era o meu tempo. No dia em que te esqueci, lembrei-me de mim. Percebi que me esqueci de mim, ao invés de ser de ti. E foi tão bom lembrar de mim. No dia em que te esqueci, pedi-me: nunca te esqueças de mim. 
 
 
Sofia Almeida 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Blogs de Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D